Licores

A Picota do Jerte, protagonista

Além da exportação das frutas, com vários milhões de quilos de cerejas por ano, o Agrupamento de Cooperativas do Vale do Jerte iniciou, em 1989, um processo de destilação de fruta que hoje é exemplar e que deu lugar ao licor de cereja do Valle del Jerte, o único em Espanha realizado na íntegra com a Picota da nossa terra.

Como remate, a 25 de março de 1991, inaugurou-se a destilaria de aguardentes de frutas num evento que reúne muitas pessoas.

A filosofia do processo assenta em três pilares: fermentação ecológica da fruta, destilação artesanal em alambique e ausência total de colorantes e aromatizantes.

Para a sua elaboração, lavam-se as cerejas, retiram-se os pedúnculos e, sem descaroçar, são trituradas numa batedeira. São colocadas numa bacia, tapadas com um pano e ficam a fermentar num local fresco fora do frigorífico. Passados três dias, escalda-se um jarro de vidro em água a ferver. Quando estiver seco, vertem-se as cerejas trituradas para dentro da aguardente. Fecha-se o frasco hermeticamente e deixa-se macerar durante dois meses. 

O passo seguinte consiste em coar por um filtro de pano o licor e depositá-lo no jarro esterilizado. Em seguida, mistura-se o açúcar e a água e, após cozer durante cinco minutos, deixa-se arrefecer e adiciona-se a aguardente de cerejas. Cobre-se e deixa-se macerar durante dois meses. Por último, é engarrafado e está pronto a consumir.

É surpreendente que o kirsch ou aguardente de cereja seja uma especialidade tradicional dos povos do centro europeu sem presença em Espanha. Por isso, a aguardente do Valle del Jerte é ainda mais genuína, se possível, dadas as características tão especiais que a acompanham, com a qualidade própria dos kirsch do centro europeu.  O suave paladar, com um profundo travo, próprio das cerejas do Valle del Jerte. 

O seu sucesso estendeu-se à aguardentes de framboesas, ameixas e pera e, mais tarde, a licores de excecional qualidade, cuja gama vai da cereja, à ameixa, à amora até à framboesa.

Se você gosta Licores você também vai gostar...

Alt

Queijo Ibores

O queijo de cabra da Extremadura tem nome próprio: Queijo Ibores. É um queijo gordo, com casca semidura, cor marfim, com pimentão ou azeite. O seu nome provém do distrito onde se criam as maiores...

Alt

Pimentón de La Vera

O pimentón de La Vera começa a sua história na província de Cáceres graças ao imperador Carlos V. O afamado pimentão, que atualmente conta com a Denominação de Origem Protegida Pimentón de La Vera...

Alt

Figos

Espanha é líder na produção de figos da Europa e, por regiões, a Extremadura está à cabeça em extensão e cultivo da figueira. Embora a sua produção esteja muito localizada, na geografia regional...

Alt

Ribera del Guadiana

A DOP Ribera del Guadiana está presente nas duas províncias extremenhas. Na província de Cáceres abarca as zonas de Montánchez, Trujillo e Cañamero.

Mais coisas que você pode encontrar em Cáceres

Alt

Cidade monumental de Cáceres

A topografia condicionou o desenvolvimento urbanístico de Cáceres por se encontrar num elevado terreno desigual, entre a Serra de la Mosca e a Sierrilla, sobre um solo de quartzitos endurecidos e...

Alt

Artesanato

Cáceres é história, é cultura, arte, natureza... e a sua gente. Os habitantes que deram caráter a estas terras, aos seus recantos, foram os seus protagonistas durantes séculos e souberam conservar...

Alt

Festas de interesse turístico

A província tem uma festividade de Interesse Turístico Internacional e duas festividades foram declaradas de Interesse Turístico Nacional. A primeira, e mais importante, é a Semana Santa de...

Alt

Conjunto Histórico de Cáceres

A 21 de janeiro de 1949 foi publicado o Decreto de declaração de Cáceres como Conjunto Monumental e, em 1986, a UNESCO incluiu o Conjunto Histórico de Cáceres na lista mundial do Património da...

Servicios turisticos

No Instagram... #instacaceres