Compotas e Geleias

Produção tradicional

As geleias caseiras ou artesanais são um produto de grande qualidade, dado que a sua elaboração se faz com todo o primor, respeitando os processos artesanais que passaram de geração em geração. Disso são grandes conhecedores no Vale do Jerte, grandes produtores de fruta e também dos seus derivados, como as deliciosas compotas.

Como não podia deixar de ser, uma das estrelas é a geleia de cereja do Vale do Jerte. Mas não é a única. À cuidada seleção de geleias originárias de terras da região une-se a geleia de morango, de marmelo, de framboesa, de laranja, de tomate, de cenoura, de ameixa, de pêssego e de cereja. Também não nos podemos esquecer dos figos e castanhas em calda, alimentos autóctones muito enraizados na nossa história. 

O processo de elaboração continua a ser artesanal e parte de uma seleção de frutas boas e maduras. Após a seleção da fruta, esta é descaroçada e triturada. Daí passa para a mistura onde é amolecida com água e açúcar. O passo seguinte é o cozimento em vácuo e a baixa temperatura, requisitos indispensáveis para que o fruto conserve a cor e o sabor. 

Depois do cozedura, adiciona-se ao produto um pouco de sumo de limão para regular a acidez, caso seja necessário, e é acondicionado, com recurso a um sistema de vapor que permite que a geleia seja selada em vácuo.

A pasteurização é o último retoque do processo de produção. Consiste na introdução dos frascos em água a ferver durante cerca de 15 minutos. Chegados a este ponto, o produto está pronto para ser etiquetado. 

As geleias não levam nenhum tipo de conservante e são feitas a partir de fruta fresca, e não da polpa. Este facto faz com que seja um produto mais delicado e com um acabamento requintado,  perfeito para acompanhar tanto os nossos pratos doces como salgados.

Se você gosta Compotas e Geleias você também vai gostar...

Alt

Doçaria

Perrunillas, maçapão, bollas de chicharrones, roscas fritas, floretas, pestiños, hornazos, perrillos, sapillos ou repápalos con leche, roscas de muégado… A tradição doceira em Cáceres vem de...

Alt

Pimentón de La Vera

O pimentón de La Vera começa a sua história na província de Cáceres graças ao imperador Carlos V. O afamado pimentão, que atualmente conta com a Denominação de Origem Protegida Pimentón de La Vera...

Alt

Queijo Ibores

O queijo de cabra da Extremadura tem nome próprio: Queijo Ibores. É um queijo gordo, com casca semidura, cor marfim, com pimentão ou azeite. O seu nome provém do distrito onde se criam as maiores...

Alt

Vitela da Extremadura

Os bovinos da IGP Ternera de Extremadura são criados no montado estremenho e a indicação abrange todos os distritos da Comunidade Autómoma.

Mais coisas que você pode encontrar em Cáceres

Alt

Festas de interesse turístico

A província tem uma festividade de Interesse Turístico Internacional e duas festividades foram declaradas de Interesse Turístico Nacional. A primeira, e mais importante, é a Semana Santa de...

Alt

Cidade monumental de Cáceres

A topografia condicionou o desenvolvimento urbanístico de Cáceres por se encontrar num elevado terreno desigual, entre a Serra de la Mosca e a Sierrilla, sobre um solo de quartzitos endurecidos e...

Alt

Artesanato

Cáceres é história, é cultura, arte, natureza... e a sua gente. Os habitantes que deram caráter a estas terras, aos seus recantos, foram os seus protagonistas durantes séculos e souberam conservar...

Alt

Conjunto Histórico de Cáceres

A 21 de janeiro de 1949 foi publicado o Decreto de declaração de Cáceres como Conjunto Monumental e, em 1986, a UNESCO incluiu o Conjunto Histórico de Cáceres na lista mundial do Património da...

Servicios turisticos

No Instagram... #instacaceres