Doçaria

A versão mais gulosa de Cáceres

Perrunillas, maçapão, bollas de chicharrones, roscas fritas, floretas, pestiños, hornazos, perrillos, sapillos ou repápalos con leche, roscas de muégado… A tradição doceira em Cáceres vem de tempos remotos, desde o tempo em que judeus e árabes deixaram a sua marca com o uso dos ingredientes das suas terras, de quando a cozinha portuguesa a influenciava com as suas lufadas culinárias

Quem não comeria, de uma só dentada, um delicioso bombom de figo? Porque esta iguaria é elaborada com matéria-prima de grande qualidade. Cáceres é a província que mais figos produz de toda a Espanha. São selecionados os melhores frutos, tanto por tamanho, como por qualidade, são tratados, secos e recheados com um delicioso creme, quase sempre de avelã, para serem cobertos com uma fina e estaladiça camada de chocolate que confere ao bombom esse toque que o torna irresistível.

Outros doces manjares são as floretas que se fazem para acolher os convidados nos dias anteriores a um casamento, comunhão ou batizado; os repápalos com leite ou sapillos confecionados com pão que se comem na Semana Santa; as perrunillas, que se diz serem doces conventuais... E para adoçar, o mel que conta com a DOP Gata-Hurdes. A doçaria da região é tão rica que não saberá que doce provar.

Na doçaria da região abundam os exemplos de doces conventuais. Comem-se buñuelos de viento, rosquillas de alfajores de Cáceres, pestiños, hornazos e mantecados. Em Navalmoral de la Mata um dos doces típicos são os sapillos, um bolo de leito frito aromatizado com canela que se come na Semana Santa (noutras localidades fazem-se uns parecidos com o nome de repápalos dulces). 

Em Serradilla, come-se a chamada Pringá de Chicharrones com gorduras da matança. Outro doce reconhecido é o Crispiones.

Cada distrito, cada povoação, cada casa foi adaptando estas receitas tradicionais que nos prendem com o seu aroma, textura e irresistível aspeto. Qual escolheria na sua próxima visita à província de Cáceres?

Em imagens

AltAlt

Se você gosta Doçaria você também vai gostar...

Alt

Patatera

A patatera é um enchido típico de Cáceres e do resto da Extremadura, composto por cachaço de porco ibérico e batata cozida condimentada com sal e Pimentón de la Vera, alho e especiarias e curado...

Alt

Licores

Além da exportação das frutas, com vários milhões de quilos de cerejas por ano, o Agrupamento de Cooperativas do Vale do Jerte iniciou, em 1989, um processo de destilação de fruta que hoje é...

Alt

Queijo Ibores

O queijo de cabra da Extremadura tem nome próprio: Queijo Ibores. É um queijo gordo, com casca semidura, cor marfim, com pimentão ou azeite. O seu nome provém do distrito onde se criam as maiores...

Alt

Borrego da Extremadura

A IGP reúne borregos que pastam nos montados de Cáceres e Badajoz e são criados com leite materno durante os primeiros 45 dias da sua vida. As mães são ovelhas de raça Merino ou cruzamentos com...

Mais coisas que você pode encontrar em Cáceres

Alt

Festas de interesse turístico

A província tem uma festividade de Interesse Turístico Internacional e duas festividades foram declaradas de Interesse Turístico Nacional. A primeira, e mais importante, é a Semana Santa de...

Alt

Artesanato

Cáceres é história, é cultura, arte, natureza... e a sua gente. Os habitantes que deram caráter a estas terras, aos seus recantos, foram os seus protagonistas durantes séculos e souberam conservar...

Alt

Conjunto Histórico de Cáceres

A 21 de janeiro de 1949 foi publicado o Decreto de declaração de Cáceres como Conjunto Monumental e, em 1986, a UNESCO incluiu o Conjunto Histórico de Cáceres na lista mundial do Património da...

Alt

Cidade monumental de Cáceres

A topografia condicionou o desenvolvimento urbanístico de Cáceres por se encontrar num elevado terreno desigual, entre a Serra de la Mosca e a Sierrilla, sobre um solo de quartzitos endurecidos e...

Servicios turisticos

No Instagram... #instacaceres